Vídeos em flash pelo iPhone

Enquanto a Apple não abre sua plataforma para leitura de arquivos flash, um aplicativo vai ganhando mercado e alavancando as vendas da App Store.

O SkyFire, que permite a visualização de vídeos em flash pelo iPhone, bateu US$ 1 milhão na primeira semana de vendas na loja virtual da Maçã. Deste total, US$ 300 mil fica no caixa da Apple (30%) e os US$ 700 mil restantes com a SkyFire.

O app custa US$ 2,99. Para o Android e outras plataformas, o aplicativo é gratuito.

Adobe adere ao HTML5

Depois da guerra anunciada entre a Apple e a Adobe, esta, inteligentemente, resolveu abrir a guarda e adotar em alguns de seus conteúdos a linguagem HTML5.

Para isso, a Adobe se uniu à empresa Greystripe, especializada em aplicativos para dispositivos móveis, que irá criar uma aplicação que vai converter os conteúdos de flash para HTML5. O que isso significa? Com isso os usuários fanáticos pela “maçã” vão poder enxergar em seus iPads, iPods Touch e iPhone, todos os tipos de conteúdo, inclusive com flash.

Ponto para a Adobe que percebeu que iria perder clientes para a Apple, que vem ampliando mercado com seus novos brinquedinhos.

Criando um app gratuito

Compartilho hoje a dica dada por Ricardo Mendes, jornalista, editor executivo do A TARDE (grupo de comunicação da Bahia) e professor da disciplina Edição Jornalística e Convergência Midiática na pós-graduação da Faculdade Social da Bahia (FSBA).

Ferramentas para construir um app (aplicativo para iPhone, iPad e iPod), de forma gratuita:

. AppMakr

. PhoneGap

. My app builder

O legal é que lhe possibilita comercializar seu aplicativo por meio da app Store da Apple.

Agora é só inovar e criar seus novos aplicativos.

TV no iPhone

Hoje li que os dispositivos da Apple – iPhone, iPod Touch e iPad – ganharam um receptor de TV digital. A novidade foi anunciada nesta terça (8), pela empresa brasileira EUTV, que apresentou o Tivizen.
Com preço inicial de R$ 499, o aparato é comercializado nos sites Magazine Luíza, Walmart e Ponto Frio. Para ter acesso, o usuário precisará instalar o aplicativo (app) gratuito disponível na store da Apple. Ainda, segundo anunciado, a próxima fase do lançamento irá englobar o BlackBerry e o Android.

Beleza! Mas, as desvantagens: é mais um equipamento para carregar na bolsa, que é mais ou menos do tamanho do iPhone, além do tempo de uso da bateria que, com certeza ficará reduzido. Por sinal, o desenvolvedor garante que a bateria do iPhone ficará viva por quatro horas.

Mas, ainda há outra questão: o receptor tem um raio de alcance de 50 metros. Além de ser mais um trambolho eletrônico para levar, creio que irá restringir a mobilidade. Teremos que parar para prestar atenção no que iremos assistir.

Briga de gigantes

A Adobe resolveu comprar a briga com a Apple de uma forma inusitada e inteligente. Esta semana, a detentora do flash, motivo da discussão, saiu com alguns anúncios com o slogan de campanha “Nós amamos a Apple” (“We love Apple”). A divulgação foi feita nos nos sites Wired, Engadget e New York Times e uma página inteira no Washington Post.

No anúncio, a Adobe diz: “Nós amamos a Apple. Amamos Flash e HTML5. Amamos nossos três milhões de desenvolvedores. O que não amamos é que alguém leve sua liberdade sobre o que você cria, como cria e o que experimenta na web”.

Record eReader

O mercado editorial abre os olhos e já anuncia sua chegada ao mundo móvel.  O Grupo Editorial Record, que comercializa livros não-didáticos, lançou um aplicativo eReader para iPhone, onde disponibilizará trechos de livros com recursos adicionais além, é claro, de link direto para compra dos livros.

Ao procurar o aplicativo no AppStore oficial do iPhone, não o encontrei. Mas, ao realizar a busca pelo Google, fica fácil.

Segundo divulgado, os dois primeiros livros que terão trechos liberados, são Senhora do Jogo, de Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe; e Diários do Vampiro 2 – O Confronto, o segundo volume da série que está nas listas dos mais vendidos no Brasil há algumas semanas.

Na versão, gratuita, o usuário terá acesso a:

– Primeiro capítulo de cada lançamento exclusivo da Editora Record
– Opções de tamanhos de fontes para leitura
– Leitura horizontal ou vertical
– Acesso a um link para compra on-line dos livros físicos

RA nos d.m.

 

Voltei antes do que esperava! Mas trago ótimas notícias.

A Realidade Aumentada também terá aplicações em dispositivos móveis. No caso dos bichos virtuais, o iPhone, da Apple, também terá uma versão chamada “Arf”; um cachorrinho que responderá a atitudes do dono.

Infelizmente, o Arf ainda não tem previsão de lançamento. A Apple ainda estuda um aplicativo compatível com a câmera digital do iPhone.

>> Entrevista com David Perry sobre o Arf Software [em inglês]